Resenha sobre João Pessoa – de 18 a 22/06/2014

Logo Boxixo 2014Eis que temos mais uma resenha na área (para variar com um pouco de atraso), desta vez sobre minha viagem a João Pessoa durante este feriadão de Corpus Christi em 2014 e também durante a Copa (19 a 22/06). Como sempre, o texto vai ser no formato de capítulos e da forma mais cronológica possível, pois algumas coisas vão se misturar no decorrer do texto.

A PROGRAMAÇÃO

O maior motivo de ter escolhido viajar para mais longe em Junho foi que o Corpus Christi seria o último feriadão do ano (antes do Natal), e ir para João Pessoa foi motivado pelo Helder Bauer (amigão de infância) e pela Cássia, sua esposa, que se mudaram para lá no começo desse ano para escapar da friaca e outros motivos que não vêm ao caso, que já conhecem a região e poderiam dar dicas de locais para conhecer.

Comecei a preparar a viagem em Fevereiro, quando comprei as passagens aéreas pela Gol sem usar milhas (por ter sido com muita antecedência o preço ficou bem razoável). Na sequência corri atrás de pousadas e hotéis, e acabei achando o Terrazzas Flat como sendo o mais barato e mais perto de onde eu queria, depois de muita procura em agências de viagens e sites de reservas, porém estava lotado em todos. Insisti mais um pouco na pesquisa e achei pelo site CasaFerias o contato direto com a proprietária do número 307 (Rosana), que me foi muito solícita e acabamos fechando a reserva na sequência, com o pagamento de 50% da reserva no ato e os outros 50% no checkout.

Não programei passeios nem nada porque deixei tudo na mão do casal Bauer, que já haviam feito uma mega programação quando eu cheguei (mas não deu para cumprir toda devido a motivos explicados mais tarde).

O TRANSLADO

Como o voo era às 20:00 de uma quarta-feira, resolvi fazer algo inusitado: ir direto do trabalho e de lá de ônibus para o aeroporto (já que Curitiba conta com uma rede integrada de transporte público e existe uma linha que para na porta do aeroporto, que fica na região metropolitana). Custo: R$2,70 (1 passagem de ônibus). Só para comparação, um táxi não sairia por menos de R$80,00. Assim, levei as malas para a empresa de manhã, fui direto e peguei o ônibus às 17:00, chegando no aeroporto pouco depois das 18:00. Já em João Pessoa, o casal Bauer mui gentilmente foi me pegar no aeroporto de lá, isso porque a conexão do RJ para JP atrasou quase 1 hora, chegando depois das 02:00…

Na volta, a mesma coisa: o casal Bauer me levou ao aeroporto às 00:00 de domingo para segunda, a chegada em Curitiba foi às 06:00 e voltei para casa também de ônibus.

A HOSPEDAGEM

O flat não podia ser melhor: apartamento completo com cozinha, sala, quarto e banheiro, totalmente equipado, preço acessível, e o melhor: prédio de frente para o mar e a 1 quadra do apartamento de meus amigos na praia de Manaíra. Bem no fim acabei usando o imóvel meio que só para dormir, mas para quem vai com família para descansar ou quiser economizar e fazer as refeições em casa, tem toda a estrutura à disposição.

Vista geral do flat 307 do Terrazzas

Vista geral do flat 307 do Terrazzas

O flat número 307 é lateral, e a vista para o mar somente na sacada. O flat é exatamente como nas fotos do site: tem uma TV maior na sala e uma pequena no quarto, TV a cabo disponível, chuveiro elétrico, geladeira (já estava ligada quando cheguei), wifi, recepção 24 horas, capacidade para até 5 pessoas, enfim, tudo de bom (maiores informações sobre o imóvel você pode ver também no site, é aquilo lá, sem tirar nem pôr).

Nascer do sol visto da sacada lateral do flat

Nascer do sol visto da sacada lateral do flat

Vista da portaria do Terrazzas, em frente ao mar

Vista da portaria do Terrazzas, em frente ao mar

Um comentário no site do flat diz que o sinal do wifi do prédio não é tão bom, porém não cheguei nem a utilizar porque a cobertura da TIM em João Pessoa é simplesmente SENSACIONAL em toda a região (quem me conhece sabe que não costumo elogiar assim à tôa).

O checkout também foi bem tranquilo, tratei pessoalmente com a Sra. Rosana e o Sr. Gilberto no primeiro dia de hospedagem, muito atenciosos e educados.

A CIDADE

Depois de ter conhecido Maragogi no ano passado, que foi minha primeira viagem ao nordeste brasileiro, fiquei com uma impressão meio ruim da região, porque você passa por locais muito pobres e sujos no caminho. Ao chegar em JP você percebe que não é isso, pois não lembro de ter visto UMA favela na região que visitei (exceto rapidamente quando saímos para regiões mais afastadas que tinham bairros mais pobres, mas que não chegavam a ser favelas como no caminho de Recife a Maragogi). Achei a cidade muito limpa, muitas praias com banhistas, atendimento bem razoável nos bares e restaurantes (enfim, melhor que em Santa Catarina), preços também dentro da média ou até mesmo abaixo, e claro, praias maravilhosas, que são assunto do próximo capítulo.

AS PRAIAS

O casal Bauer havia feito um mega planejamento para esses 4 dias de hospedagem, que incluíam visitação às praias do litoral sul, litoral norte, Praia de Pipa (RN) e Campina Grande (no “maior São João do mundo”), porém devido a contratempos, um dos dias meio chuvoso e também ao cansaço no final da empreitada, as coisas se modificaram um pouco.

O primeiro dia (quinta) foi dedicado ao litoral sul, que incluiu incursões à Ponta do Seixas (ponta mais oriental do Brasil), Praia do Sol, Coqueirinho, Tambaba e até a Praia Bela em Pitimbu, no extremo sul da Paraíba. No final do dia (no caso, à noite, porque por lá às 17:00 já começa a anoitecer), saímos à pé para ir ao Bahamas, bar à beira mar no centro, mas como estava lotado e os planos B e C não deram certo, o jeito foi ir na Oficina do Camarão, carinhosamente apelidada de “pobrão” pelo Helder devido aos preços acessíveis (porém tudo muito bem feito) com muita patola de caranguejo, camarão e cerveja para fechar com chave de ouro.

Praia do Seixas, o local mais oriental do Brasil

Praia do Seixas, o local mais oriental do Brasil

Praia do Sol, com a “personal nuvem” ameaçando o clima

Paisagem inusitada da Praia do Sol

Paisagem inusitada da Praia do Sol

Praia de Coqueirinho com um excelente restaurante à beira-mar

Praia de Coqueirinho com um excelente restaurante à beira-mar

Praia Bela, quase no extremo sul da Paraíba

Praia Bela, quase no extremo sul da Paraíba

Famoso “pobrão” de João Pessoa: como recusar uma iguaria dessas a um preço assim?

O segundo dia (sexta) amanheceu chovendo e não foi possível aproveitar muito, mas à tarde, após constatar que a Marina estaria fechada durante este feriadão, o jeito foi ir ao restaurante Golfinho, último local de João Pessoa sentido Cabedelo, outro município anexo a JP. De lá, a praia do Jacaré, que é perto e rola um maluco tocando Bolero de Ravel ao pôr do sol, e no final do dia uma incursão ao Vila Cariri, outro bar e restaurante com pratos típicos.

Pôr-do-sol na Praia do Jacaré

Pôr-do-sol na Praia do Jacaré

Já no sábado a programação era a Praia de Pipa, no Rio Grande do Norte, pegar uma embarcação e fazer um passeio all-inclusive que o casal Bauer já havia feito mas queria repetir. Depois eu descobri o motivo: é realmente muito bom, com uma passagem pela Praia dos Golfinhos, com muitos avistamentos de unicórnios golfinhos, e um tour embarcado por diversas outras praias que foi até o pôr do sol, com tudo incluído mesmo: cervejas, caipirinhas, almoço e aperitivos à vontade. Foi sem dúvida o passeio mais longo e cansativo de todos, mas valeu à pena.

Quase chegando na Praia de Pipa - RN

Quase chegando na Praia de Pipa – RN

Praia de Pipa, com vista para o local de saída dos barcos

Praia de Pipa, com vista para o local de saída dos barcos

Passando a praia dos golfinhos, uma beluga sobe à bordo...

Passando a praia dos golfinhos, uma beluga sobe à bordo…

Quase ao final do passeio, próximo à represa no final do rio

Quase ao final do passeio, próximo à represa no final do rio

Pôr-do-Sol na Praia de Pipa, já retornando para a praia

Pôr-do-Sol na Praia de Pipa, já retornando para a praia

Como domingo era dia do meu retorno, não deu para fazer nada muito arriscado, então rolou uma tentativa frustrada de almoço na Ponta do Seixas, uma incursão à Casa do Caranguejo e depois a um bar na orla de Cabedelo, no litoral norte, passando o Golfinho que fomos na sexta, chamado “Badionaldo”.

Cabedelo, com vista para João Pessoa

Cabedelo, com vista para João Pessoa

Mais à noite, aguardando a hora do voo (que era às 02:00), outro restaurante foi escolhido, o Marbeli, onde ainda comemos umas porções. Depois, rumo ao aeroporto, e fim de história.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

– A TIM poderia utilizar a mesma estrutura de 3G de João Pessoa aqui em Curitiba, pois até nos cantos e praias mais remotas, como era o caso de Coqueirinho, foi possível postar fotos no Facebook direto da beira mar (já aqui todo mundo sabe que não funciona bem quase que em lugar nenhum). Já comentei que nem pedi a senha de wifi do hotel.

– João Pessoa é tipo Florianópolis: precisa de uns 30 dias para conhecer bem a região. São muitas praias, bares e restaurantes para ir, sem falar nas baladas, forrós e outros locais que não tive nem como passar perto devido à falta de tempo.

– Apesar de ser durante a copa (juro que nem tinha pensado nisso quando fiz as reservas), até que foi tudo bem tranquilo, exceto o atraso de quase 1 hora no voo de conexão na ida do Galeão (RJ) para João Pessoa, mas nem sei se teve alguma coisa a ver com a copa. No mais, tudo certo.

– Não cheguei a ver nenhum tipo de confusão, pessoas suspeitas ou qualquer outro problema do tipo, apesar de ter sido orientado pelo casal Bauer que acontecem muitos assaltos na orla.

– No final acabei gastando cerca de R$ 1700,00 pelos 4 dias, sendo que foram uns R$600,00 de aéreo e R$480,00 de hospedagem, mais R$130,00 no passeio em Pipa. No mais, tudo muito bem gasto em comida e bebida.
– Gostaria de agradecer a hospitalidade, paciência e boa vontade do casal Bauer, que me levou para cima e para baixo conhecendo alguns locais e revisitando outros. Por sinal, eles têm também um flat para alugar no Centro, quem quiser pode entrar em contato com eles pelos comentários (em breve informações de contato).

– Agradeço novamente os proprietários do Terrazza Flat 307 pelo excelente imóvel e o ótimo atendimento a mim dispensados.

Vou ficando por aqui com mais uma resenha, espero que ainda venham muito mais como essa! 🙂

Anúncios
Esse post foi publicado em Fervos Los Palhêra, Turismo e marcado , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Resenha sobre João Pessoa – de 18 a 22/06/2014

  1. Wagner disse:

    O casal Bauer são de fato ótimos e este lugar, João Pessoa, é de fato lindo, suas descrições são perfeitas, parabéns

  2. Pingback: Resenha sobre Natal – RN – de 04 a 07/06/2014 | Blog do Boxixo

  3. Pingback: Resenha sobre Aracaju – de 27/07/2017 a 01/08/2017 | Blog do Boxixo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s